Ads Top

PROTESTO CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA REÚNE CENTENAS DE MANIFESTANTES EM CÍCERO DANTAS


Centenas de manifestantes participaram, na manhã deste sábado (25), de um protesto na cidade de Cícero Dantas (BA) contra a proposta do Governo Federal de Reforma da Previdência, que tramita atualmente na comissão especial da Câmara dos Deputados.
O ato contou com a presença de agricultores familiares, integrantes de entidades e organizações sociais do Nordeste Baiano, representantes de partidos políticos, dirigentes sindicais e autoridades políticas como deputados estaduais e federais, prefeitos e vice-prefeitos da região, além de vereadores de Cícero Dantas e de cidades vizinhas.
A manifestação que teve início em frente ao Ginásio de Esportes da cidade, na Avenida Antônio Carlos Magalhães se desenvolveu com uma caminhada ao longo de grande parte da sua extensão, até chegar na Avenida Bom Conselho (principal ponto comercial de Cícero Dantas) chamando a atenção de transeuntes e de comerciantes, sempre embalada por cantos e palavras de ordem.
Depois, os participantes do protesto se aglomeraram em frente à Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho, onde lideranças políticas e da sociedade civil passaram a fazer discursos sob forte sol.
Uma das idealistas da manifestação, junto a entidades e organizações sociais, a deputada estadual Fátima Nunes (PT) acredita que o ato em Cícero Dantas e protestos recentes em várias partes do país contra medidas tomadas pelo presidente Bolsonaro, representam um momento de “despertar” da população. “São vários os prejuízos que a população brasileira vêm tomando, então agora o povo acordou, foi pra rua, para dizer não a Bolsonaro e a todo seu pacote maldades, inclusive essa de reforma da previdência, porque ela indica que no futuro, o nosso povo poderá ficar mais prejudicado ainda, e passar até fome ou viver mendigando por esmola”.
Deputada Fátima Nunes (PT) esteve presente na manifestação – Sertão em Pauta
Fundadora da AECFARCIDA (Associação da Escola Comunitária Família Agrícola da Região de Cícero Dantas) e assessora pedagógica da entidade Raimunda Maria considera que a aprovação da reforma da previdência no Congresso Nacional significa a perca de direitos consolidados na Constituição Federal de 1988. “Depois de 30 anos, a gente está ameaçado de perder todos esses direitos, então estarmos hoje aqui reunidos e lutando é de suma importância, porque a proposta vai tornar o Brasil um país de miseráveis, pois sabemos o quanto as aposentadorias …. seja de agricultores ou de outras categorias … contribuem para o desenvolvimento econômico do país, então se nos calamos e deixamos passar uma reforma dessa, é um vergonha para nós”.
O evento político em Cícero Dantas também contou com a presença de deputados federais que vivenciam diariamente em Brasília, os debates e trabalhos parlamentares em torno da proposta. Joseildo Ramos (PT), que está em seu primeiro mandato na Câmara diz concordar com a necessidade de uma reforma da previdência, mas não na dos moldes do Governo Bolsonaro. “Precisa-se sim de ajustes porque a demografia brasileira não é a mesma da de 30 anos atrás, mas a gente necessita é gerar emprego e fazer circular dinheiro na economia porque a previdência do jeito que é hoje foi superavitária até 2015, e porque que não é mais? Ela não está sendo mais, por causa do desemprego. Eles querem deslocar o mercado de 460 bilhões de reais para o Itaú, Bradesco e Santander”, comentou o Joseildo.
Manifestação atraiu diversas entidades sociais – Sertão em Pauta
Ao Sertão em Pauta, o colega de bancada de Joseildo em Brasília, o deputado Jorge Solla (PT) parabenizou os organizadores da manifestação e a militância de seu partido e de aliados pela iniciativa, que segundo ele, lhe proporciona otimismo. “Quem faz a diferença são as pessoas … é a população na rua, e é quem vai dar a direção do voto dos deputados, então nós temos que destruir esse projeto, que quer acabar com a previdência social”, apontou Solla, para quem o projeto do governo federal não é uma reforma, mas uma “proposta de ajuste fiscal para reduzir despesas do governo e garantir mais dinheiro ao pagamento de juros e da dívida pública”
O nosso site também falou com Josias Gomes, eleito deputado federal e atualmente licenciado, para gerir a pasta de Desenvolvimento Rural da Bahia. O parlamentar também acredita que existem alternativas à reforma da previdência proposta pelo atual governo e que o seu partido está disposto a dialogar sobre elas. “Sempre estamos abertos, agora tem algumas questões da reforma que inegociáveis. Não dá para aceitar a capitalização, se nenhum país rico fez isso, porque iríamos fazer se somos um país de pobres? Não dá pra mexer no BPC (Benefício de Prestação Continuada), nem tampouco na aposentadoria dos trabalhadores rurais”, destacou Josias.
Protesto ocorreu nas avenidas Antônio Carlos Magalhães e Bom Conselho – Sertão em Pauta
Também presente no evento, o presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores) Bahia Cedro Silva comentou sobre a importância de mobilizações desse tipo. “Essa é a forma que a população tem para dizer ao Congresso Nacional que não concorda com essa reforma da previdência, que tira direitos e acaba com a previdência social, porque entrega os recursos dela na mão dos bancos, e depois de 30 anos não se tem a garantia de reaver esse dinheiro com uma aposentadoria digna”.
A manifestação que teve o apoio da Pastoral Rural da Diocese de Paulo Afonso, Arcas (Associação Regional de Convivência Apropriada ao Semiárido) e AECFARCIDA contou com a vinda de diversas caravanas da zona rural de Cícero Dantas e de outras cidades da região, além de membros da Tribo Kiriri. No evento, também foi entregue um abaixo-assinado com 6.604 assinaturas de moradores do Semirárido Nordeste II, contrários à reforma da previdência. O processo de coleto teve início há um mês e pretende obter a adesão de 100 mil pessoas da região.
Entrega de abaixo-assinado – Sertão em Pauta

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.